sábado, 15 de Fevereiro de 2014

O ALVORAR DE UMA NOVA ERA

São os Bombeiros os heróis de uma sociedade que Portugal nem sempre reconhece.São estes heróis que dão origem à formação das Associações Humanitárias,sem eles estás não existiam. Porem em certas épocas,existem sempre pessoas que se querem  enaltecerem,ultrapassando o sentido de honra mesmo sabendo que mancham o nome da Associação.São os heróis de barro da década de setenta. Foi trágica esta época pelos desacatos realizados por todos aqueles que se chamavam a si próprios defensores da associação.
Foram escritas páginas negras que por respeito à associação não relatamos, foram queimadas e as cinzas o vento as levou para o mar oceânico.
.No alvorar dos anos oitenta foi hasteada a bandeira branca da paz.
Foi nomeado comandante Alexandre Ferreira, passando ao Quadro Honorário o comandante Manuel Clérigo.Alexandre Ferreira, comandante e presidente da direção enfrenta a transição de uma nova era em que por vezes se torna mais difícil se ser voluntário. Tem um sonho para realizar, a construção de um novo quartel. Em Junho pelo aniversário desfilam com brio pela avenida marginal.

No ano de 1983 passa a Comandante José António Justiça, sendo presidente da Assembleia Geral , Alfredo Manuel Justiça. Pelo aniversário dos gloriosos 76 anos dos bombeiros realizou-se a solene romagem ao cemitério onde foi colocada uma coroa de flores seguindo-se missa solene e bênção de uma ambulância em homenagem ao Dr. Graça.


Inicia-se o debate sobre o novo quartel, e em reunião de 13 de Dezembro são os corpos gerentes informados, ao ser lida a fotocópia da acta da Câmara Municipal de Alcobaça, que esta cedeu à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de São Martinho do Porto o direito da superfície do terreno para o novo quartel por um período de 50 anos. 
Nas reuniões seguintes continua a ser tema o andamento do projeto que as varias fases ao qual ficará sujeito. 
A 1 de Janeiro de 1984, dia mundial da paz, nota-se a falta de muitos bombeiros na missa de ano novo. Porém, em reunião de direção, foi decidido ultrapassar este assunto tendo o Presidente da Direção acordado com o Comandante em dar apoio ao Corpo de Bombeiros com o cargo de 2º Comandante. O ano decorreu sem incidentes de grande vulto, só foram verificados caso pontuais de quem voluntariamente está a frente de uma Associação de Bombeiros. Um ou outro caso de bombeiros que não "escutam o toque da sirene" nem pensam que ao não "o ouvirem" podem em perigo vidas e a haveres. Pelo 77º aniversário depois da romagem ao cemitério foi celebrada missa solene com a bênção de uma nova viatura de fogo, seguindo-se  uma sessão solene. 





 Em finais de outubro foram apresentadas algumas demissões nos cargos diretivos, e em novembro é apresentada uma lista que vai ser de presente em eleições no final do ano. Assim no ano de 1985 dão-se mudanças no comando. O Comandante pede para deixar o cargo por motivo da sua vida profissional, assumindo o comando Alexandre Ferreira. Por motivos ocorridos anteriormente o atual comandante demite vários elementos do Corpo de Bombeiros por falta de disciplina. Em reunião de direção o Presidente informou que tendo telefonado para o Serviço Nacional de Bombeiros, S.N.B., a respeito do projeto do quartel, foi informado que estavam a dar despacho para este ser enviado por D.E.R.U..
A 23 de Março em Assembleia Geral são empossados os novos elementos diretivos. É nomeado Presidente das Direção Amadeu Pereira. Alexandre Ferreira acumula com o cargo de Comandante com o de Presidente do Conselho Fiscal. O Comandante do Quadro Honorário, Manuel Clérigo é eleito vice-presidente da direção. No 78º aniversário decorre com brio a romagem ao cemitério, missa desfile e sessão solene.
Em Outubro o Comandante informou que por telefone lhe foi comunicado que o projeto do quartel já tinha seguido de Coimbra para Lisboa.

terça-feira, 25 de Dezembro de 2012

A DÉCADA DOS ANOS 1960


Ao se anunciar os primeiros anos desta década,aparentemente normal,mas que na linha do horizonte,e atravéz de antecipação se sentem novos ventos em que o destino traça  uma linha de prepressagios.Porem na vida da Associação tudo corre normalmente,navegando-se num mar calmo de confiança e dignidade.No mês de Junho celebrou-se o 53ºaniversário com o brilho a que a população já estava habituada.Durante três dias os bombeiros estiveram em festa no Adro da  Velha Igreja.Verbenas,bailes,etc.,num arraial que teve como principal deferencia a colaboração do  rancho "Tamar da Nazare".No dia do aniversário,depois da alvorada e do içar  da bandeira,foi rezada missa por intenção dos bombeiros e sócios falecidos,seguindo-se a romagem ao cemitério. Á tarde, a Filarmonica das Gaieiras faz a tradicional cerimónia dos cumprimentos ás autoridades locais. No Largo do Turismo, foi feita a receção ás autoridades convidadas e a benção de uma nova ambulância.

Existia já um grupo feminino de auxiliares:

 
 
 







Surge o ano de 1962;sendo Presidente da Direcção Armando Costa,a Associaçâo por falta de espaço decidiu por unanimidade comprar o edificio pegado ao quartel sede,sendo a escritura realizada a 16 de Março do mesmo ano de 1962.
Em Junho,completa-se 55 anos de Bem Servir.No Adro o arraial  tem diversos divertimentos,as variedades com artistas da rádio e televisão são apresentadas pelo então famoso Armando Marques Ferrreira.
No dia do aniversário depois da alvorada o içar da bandeira e a romagem ao cemitério,seguindo-se missa pelos bombeiros e socios falecidos,celebrada pelo pároco  António Pires.No  Hotel Parque foi servido um almoço,seguindo-se  a sessão solene ,desfile com ás já tradicionais  corporações de Alcobaça;Caldas da Rainha;Obidos;Nazaré;Peniche e S.Martinho.Durante o simulacro fortes aplausos de todos os presentes prestaram homenagem aos nossos bombeiros.
No encerrar das festas  actuaram os ranchos "Mar Alto" da Nazaré ,e o rancho infantil da Casa dos Pescadores de Peniche.
 


UM   HORINZONTE   DE   PRESSÁGIOS
A tempestade  que se previa no horizonte abateu-se sobre a associação.Esta  que se de terra fosse  ficaria qual planicie,sem vida,reduzida a dor e cinzas.
O ser humano  é muito complexo,num momento enaltece os seus herois,mas tambem facilmente mudam e os tentam destruir.
É dificil suportar as almas de eleição ,e é fácil esquecer  aqueles  que nas horas de perigo  tudo dão até a propria vida em prol do próximo.Os heróis em troca do bem servir por vezes recebem a ingratidão de um povo que facilmente se deixa influênciar,Quem não comete faltas minimas?!o que são elas?!perto da generosidade do coração de quem as faz?!.
O Comandante Mario Veiga era um um alvo a abater.Foi cruficitado ,casos insignificantes foram brutalmente atirados ao vento por populares em actos e palavras  indignas. Não existem nomes a relatar,a história é feita pelos herois,os outros não passaram de sombras devastadoras que se perderam nos horizontes dos tempos.
Foi atingida a Associação,num rasto de destruição moral. A Direcção baseada no Regulamento  da Corporação de Bombeiros demitiu o comandante a 30 de Dezembro de 1963.
A 23 de Maio o Presidente da Câmara Municipal de Alcobaça, passou os poderes da Direcção para uma complexa Comissão Administrativa.
Nos finais desta década entrou para os comandos Manuel Clérigo, sãomartinhense, chegado de Angola aonde esteve ao serviço como sargento do Exercito Português.
Os anos setenta troxeram de volta ao comando o Comandante Mário Veiga. Foi feita justiça, este é nomeado pela Direcção a 4 de Junho de 1974,e confirmado pela Inspeção de Incendios nº12-Art 7 de29 do mesmo mês e ano.
Quando um verdadeiro ser humano sofre,perdoa e aceita a vontade de Deus.O Comandante Mario Veiga voltou para os seus bombeiros, o seu quartel, mas o seu coração estava muito doente, e passa ao Quadro Honorário em 1975.
A 28 de Dezembro no ano de 1977, o toque das lágrimas anunciou que o comandante tinha partido para o infinito céu. A população chorou, o quartel vestiu-se de luto, há quem diga que as pedras da calçada choraram quando o Comandante Mário Veiga, passou por elas entre todas as corporações que estiveram presentes na vida e na hora do adeus. No exército supremo dos céus ele continua atento ao toque da sirene e caminha com os seus bombeiros nos momentos de perigo.

segunda-feira, 16 de Julho de 2012

BODAS DE OURO ANO DO SENHOR DE 1957


Comemoradas nos dias 15 a 16 do mês de Junho do ano de 1957,as Bodas de Ouro dos Bombeiros Voluntários desta mui nobre Vila de São Martinho do Porto .
No ano do senhor de 1907,os Pioneiros traçaram
um caminho de Sacrifício,Honra,Coragem e Abnegação.
Ao longo de cinquenta anos os Soldados da Paz
sentiram um orgulho imenso incomensurável ao continuarem com esses mesmos valores da herança preciosa que lhes foi legada,e são autênticos Guerreiros do Fogo que continuam a dar VIDA POR VIDA,ao serviço da humanidade,ao serviço de Deus.Sentem o sentido do dever de que tem que transmitir as gerações vindoiras uma  Associação Humanitária sem mácula,digna dos Bombeiros de Portugal.Assim  no dia 15 pelas 21h.Chegada da Filarmónica;21h.Concentração dos Ranchos da Freguesia na Rua General Carmona;Arraial no Largo José Bento da Silva;24h.Procedeu-se ao sorteio de um carneiro.
Dia  16,  8h.Alvorada;9h.Hasteamento da Bandeira com formatura da Corporação;9,30h. Cumprimentos ás Autoridades;10h.Missa Solene;12h.Romagem ao cemitério local.As 15h.Chegada das Entidades Oficiais,frente ao Turismo,procedendo-se á colocação das fitas no Estandarte,e imposição de condecorações ao Corpo Activo.15.30h.Sessão Solene  no cinema;17h.Simulacro na Rua José Bento da Silva;17.30h Concerto pela filarmónica;18h.Lanche oferecido ás entidades oficiais na sede do quartel;21.45h.sessão cinematográfica com o filme português"Um Homem ás Direitas".
Na sessão solene e porque se trata das Bodas de Ouro,queremos por em evidencia o discurso feito pelo Presidente da Direcção,A.F.Costa.
"É a primeira vez que tenho a honra de falar em publico,e se o faço neste momento é porque na qualidade de Presidente da Direcção dos Bombeiros Voluntários de São Martinho do Porto,me cumpre dizer algumas palavras nesta sessão.
Exmo Senhor Presidente da Câmara:   Quiz V:Exa aceder ao nosso convite,vindo assistir a esta festa.
Enriqueceu-a com o prestigio da função que exerce,e da sua pessoa.A honra que o facto representa jamais a esqueceremos.Consinta que com as nossas respeitosos homenagens lhe afirmemos também,o nosso maior
agradecimento.A todas as entidades que tão amavelmente nos honraram com a sua presença contribuindo
para maior brilho desta festa,apresentamos a expressão sincera do nosso reconhecimento,e a nossa gratidão
Meus Senhores:Comemoram-se hoje,as Bodas de Ouro da Associação dos Bombeiros Voluntários,de São
Martinho do Porto.50 anos de trabalho dedicado ao serviço desta terra,e do seu povo.
50 anos de sacrifícios devotados á causa do Bem.50 anos de luta e Bem fazer pela Humanidade.E 50 anos na vida de uma associação de recursos tão modestos como esta,representam o expoente máximo,duma persistência heróica e benemérita,cimentada sem duvida,por um ideal sublime,que se traduz nestas palavras,que são a sua divisa "VIDA POR VIDA". Por isso esta data tinha de ser festejada condignamente,e não o seria,desde que neste dia não nos reuníssemos aqui todos,para publicamente testemunharmos,a estes valores e abnegados Pioneiros do Bem,todo o nosso reconhecimento,toda a nossa gratidão pelo serviço prestado,dando-lhes animo e coragem para continuarem cada vez com mais vontade a cumprirem,a tão nobre missão,a que voluntariamente se dedicam assim,não era de estranhar que a comemoração do seu aniversario revistisseu uma autentica manifestação de apreço,não apenas por parte das entidades aqui presentes,dos seus dirigentes e associados,como também por parte de toda a população dada a simpatia
,carinho e prestigio,que os Bombeiros Voluntários desfrutam na sua terra........
os bombeiros voluntários sacrificam-se pelo próximo em todas as ocasiões de perigo se esquecem da própria vida e correm ao primeiro sinal de perigo........
Por isso nesta data festiva e solene,a direcção decidiu galardoar alguns desses valorosos soldados da paz que por méritos próprios conseguiram reunir as condições indispensáveis para merecerem as medalhas que lhe vão ser atribuídas..........
E á Liga de Bombeiros Portugueses na pessoa do seu ilustre Presidente agradecemos a medalha de ouro de 2 estrelas com que vai ser condecorado o nosso Estandarte.Ao chegar ao termo desta jornada de 50 anos,recordamos todos aqueles que dormem o seu sono derradeiro e que fundaram este Corpo de Bombeiros.

                                                                                                       

domingo, 15 de Julho de 2012

30 JUNHO ANO DE 1949

Depois da morte do Capitão Jaime Pinto,D:Rosa Rebelo Pinto ofereceu  á Associação Humanitária o automóvel do marido, o Carro Cottin nº A   A53 - 20, para ser adaptado a viatura Pronto Socorro. Depois
de algumas trocas de ofícios entre a Direcção e a Inspecção de Incêndios da Zona Sul. o carro cottin foi finalmente transformado numa viatura de fogo, tendo recebido o nome de Capitão Jaime Pinto.
Neste mesmo ano a Direcção Geral  de Administração Politica Civil, comunicou ter sido concedido a esta Associação um subsidio para a compra de uma viatura Pronto Socorro.
   A COR DOS IDEAIS
Uma miscelânea de cores, traduz os ideais de cada
Soldado da Paz,elas cruzam entre terra, o mar, o fogo e o azul profundo dos céus.
Entramos na década dos anos cinquenta,no mês de Maio continuando como presidente Dr Rafael Graça,é inaugurada na torre da fachada do quartel a primeira sirene eléctrica.
Decorrem alguns anos,de ânimos de grande tranquilidade, os Guerreiros do Fogo, com o seu comandante Mário Veiga,dão provas de grande valor, almas nobres que enfrentam todas as tragédias sabendo que com fé venceram sempre qualquer perigo.
São famosas pelo brio e esplendor as festas realizadas,damos alguns exemplos:Na festa do 48ºaniversario a 13 de Junho de 1955,os eventos causaram a maior sensação. 8h.Alvorada;9h.Hasteamento da bandeira,e estreia de novos fardamentos com formatura da Corporação;9.20h.Chegada da Filarmónica e cumprimentos ás Autoridades locais;11h. Missa por intenção  dos Bombeiros e Sócios falecidos; 12h.
Romagem ao cemitério local;15h.chegada das Entidades Oficiais,no Largo Vitorino Frois,;15.30h. Sessão
Solene no cinema,17h.simulacro na Rua José bento da Silva;18h.Lanche oferecido ás entidades oficiais;21.30h.sessão cinematográfica no cinema com o filme português "Heróis do Mar".

domingo, 1 de Julho de 2012

Comandantes Marcel 1945 Mario Silva Veiga

Neste ano o Comandante Luís Marcel Heftlen que sempre  comandou  os seus homens com energia e dedicação devido á sua vida particular pede a demissão depois de seis anos ao serviço da humanidade, e com a vontade expressa de todo o Corpo de Bombeiros e de Corpos Gerentes transmite o cargo para o 2º comandante Mário da Silva Veiga.
O Comandante Mário Veiga ,entrou para esta Casa já há 19 anos,tendo já dado provas do seu valor desmedido, para ele,não existem segredos,enfrenta sem receio as chamas de um fogo devastador, como a fúria do mar que temerário se arremessa contra a praia, contra as rochas. Este comandante irá fazer história na Associação será um herói,um Vencedor.
Luís Marcel Heftlen faleceu e jaz nesta localidade a 11 de Fevereiro de 1962

Bombeiros Actores

Década dos anos quarenta   - 1940
Na Associação continua-se a viver num clima de paz, respira-se o ar saudável daqueles que se sabem respeitar mutuamente. São superiores na fé na ordem e coragem. Mas os nossos bombeiros são também artistas. Assim  a 5 de Fevereiro fazem mais uma representação, os actores são os próprios bombeiros, e o lucro é em beneficio dos seus cofres .Levam á cena a comédia  em três actos " O Caso Complica-se",no final realizam um baile de gala, abrilhantado pelo "Jazz-Aldrabões".
A 13 de Junho comemora-se o 33 aniversario com as honras merecidas.
Os Soldados da Paz continuam nas lutas vencedoras, contra o fogo, o mar,os temporais que se desencadeiam  repentinamente,não os atingi os fados de mal dizer,"cantados por pessoas fraudulentas"Eles são aqueles que tudo dão sem remunerações,crentes na fé do Deus Omnipotente.
Ano 1943, continua-se a viver o voluntariado, quer nos momentos de perigo , quer nos de lazer, as peças de teatro sucedem-se para a alegria da população,e os lucros continuam a ser para a caixa de socorros dos bombeiros. Assim a 8 de Março surgem as comédias "Pasteis Purgativos" e "E Dois...Snr Regedor",são bombeiros e actores, são o orgulho de São Martinho. Seguiu-se como sempre um baile de gala abrilhantado pelo acordeonista "Manuel Branco".
Ano de 1944, neste ano a Vila de São Martinho e os bombeiros perdem um amigo de coração generoso que tanto fez quer pela freguesia,como pela Associação Humanitária,o Capitão Engenheiro Jaime Granger Pinto que aos 66 anos partiu rumo ao céu no dia 17 de Novembro,dorme no cemitério desta freguesia.

Comandante Eliseu 1938 Comandante Marcel

Surge o ano de 1938,no horizonte anunciam-se algumas mudanças relativas ao comando,Francisco Nunes Eliseu o comandante fundador,homem de extraordinária e de grande firmeza moral,aos 66 anos de idade, e depois de 31 anos ao serviço da Associação pede por motivos pessoais a demissão. O Comandante pioneiro com suprema coragem escreveu a ouro  as paginas iniciais do livro do Corpo de Bombeiros. Este Herói do Fogo foi chamado a Deus aos 91 anos a 12 de Março de 1965, repousa no cemitério desta vila. Luís Marcel Heftlen,cidadão francês, mas sãomartinhense de alma e coração,aqui já a alguns anos residente como comerciante,e fazendo parte da Direcção com o cargo de tesoureiro, de acordo pleno foi nomeado Comandante do Corpo de Bombeiros. Desde o inicio se mostrou ser um digno continuador de Francisco Eliseu, pelo seu amor ao próximo e honra de bem servir a Associação.
A 13 de Junho mais um aniversário  cheio de brio, onde foram louvados  os Soldados da Paz,e numa saudação aos Céus aqueles que já partiram, mas nunca deixaram de ser os Heróis do Fogo.
A 3 de Julho o Comandante Marcel é condecorado pelo Corpo Activo como prova de reconhecimento pela ordem como dirigiu os seus bombeiros na sessão solene presidida pelo Sr.Governador Civil.
A 9 de Novembro o 2ºComandante Mário Veiga é louvado pelo comandante pela ordem ,disciplina e competência com que comandou os seus homens durante o incêndio de grandes proporções.
Assim a 23 de Novembro estes Comandantes, Corpo de Bombeiros, e Corpos Gerentes estão irmanados num só ideal:
            Porque se orgulham estes homens ? !
Pelas características dos homens de bem que põem a sua vida ao serviço do próximo:Porque é na sua coragem e humildade que está o seu valor. Enfrentam qualquer perigo de cabeça erguida.Não são arrogantes;Posso,Quero e Mando,para eles não existe. Não têm a vaidade que se desfaz em cinzas levadas pelo vento. Mas sim a consciência de bem servir,são corações generosos e imortais.
        

segunda-feira, 4 de Junho de 2012

MODIFICAÇÕES

O tempo passa com o imenso orgulho de ser bombeiro,por vezes são os heróis ignorados,mas são eles os verdadeiros vencedores,Lutam contra o Fogo, o Mar contra as palavras cruéis das cantigas de mal dizer.De cabeça erguida seguem em frente com altivez de verdadeiros Soldados da Paz.
      Ano de 1937
Passados 12 anos depois da cedência do edifício,e com a evolução da corporação verificou-se este já não possuía espaço suficiente por esse motivo é solicitado pela Direcção ao M.O.P, e DGMN a autorização para se fazerem as obras necessárias das novas exigências.A 1 de Abril o Ministério autorizou as obras de adaptação de edifício sendo a Direcção responsável pelas modificações a fazer com o fim de melhorar as suas dependências No 1º andar.as duas salas são destinadas, a da frente às reuniões de Assembleia Geral, Palestras e Conferencias,a do fundo é onde vai ficar a secretaria da direcção do corpo directivo.


A fachada é formada por duas portas largas de arcos planos,correspondendo às janelas do 1º andar com o mesmo estilo arquitectónico coroadas por um frontão sendo a construção do principio do século passado de estilo barroco.Sendo necessário dar aos portões maior largura para a entrada das viaturas,assim só com um portão de 3.20 o aspecto de edifício ficou alterado.
Este edifício um dos raros de São Martinho que fazem parte do património arquitectónico tradicionalista, legado da história do passado foi o mais possível respeitado na fachada.
A 15 de Dezembro,o edifício foi entregue pela DGMN, à Direcção com o fim de ser Quartel dos Bombeiros Voluntários.

domingo, 3 de Junho de 2012

PREDESTINADO A HEROI 1936

Neste ano de 1936 ,prevê-se num futuro próximo uma época de grandes mudanças. Com o início de uma nova era a corporação tem triunfado sempre das cantigas de mal dizer declamadas por quem por bem nada faz.
O Comandante Eliseu,começa a dar mostras de cansaço,e o 2º Comandante Mário da Silva Veiga revela-se um bombeiro de espírito destemido e arrojado .Enfrenta a fúria do mar,e sem medo desafiando os perigos da barra é o primeiro a saltar para o barco Salva Vida a remos indo ao encontro do SOS vindo do oceano.
sem medo enfrenta   as chamas dos fogos devastadores,sendo sempre o primeiro a chegar. É amigo e companheiro do seu corpo de bombeiros
Na noite de 21 para 22 de Janeiro,violento temporal desabou sobre esta vila,causando grandes e graves inundações.A 22 do mesmo mês Mário Veiga é louvado  pela ordem,disciplina e dedicação como trabalhou e orientou os seus homens durante essa tragédia.Por esse motivo a Direcção dá-lhe o voto de congratulações pelos bons serviços prestados.A 17 de Abril a Direcção dá-lhe novo voto de muito apreço
pelo desempenho ao serviço da corporação a seu cargo.
 Pelo esforço despendido pela boa apresentação  do corpo activo,pois a ele se deve a boa instrução que os voluntários de hoje possuem. A 20 de Junho,é louvado por sua Exs o Sr Ministro da Marinha pela forma como apresentou a formatura em sua guarda de honra a 14 de Maio deste ano.Nessa altura o Comandante  Eliseu recebe a medalha de FIL/CARIDADE dada pelo Instituto de Socorros a Náufragos.
 A 13 de Junho a Corporação comemora o seu 29º aniversário .9horas hasteamento da bandeira no quartel e formatura do corpo activo,continência e exposição de material.10 horas.romagem ao cemitério para deporem flores nos túmulos dos bombeiros,16 horas sessão solene no Colégio José Bento da Silva com a comparência de suas excelências, os Ministros da Marinha e do Comercio,as 17 horas bênção das viaturas,19 horas simulacro de incêndio,21 horas jantar dr homenagem oferecido ao Corpo Activo no Hotel Madrid.

terça-feira, 22 de Maio de 2012

NOVO ESTANDARTE

A 13 de Junho a Associação comemora o seu 28º aniversário.Às 9 horas foi içada a bandeira na fachada do quartel depois da formatura do Corpo Activo.
Na parte da tarde realizou-se uma sessão solene,aonde foi entregue o novo estandarte oferta da Sra D. Maria Carmen do Couto,tendo sido também descerradas os retratos desta grande benemérita e do Comandante Interino José´Tavares Adam.
O Presidente da Direcção fez um breve resumo da vida desta corporação não esquecendo todos aqueles que por bem e ao longo de 28 anos serviram esta mui nobre Associação.Procedeu-se depois na igreja a bênção do novo estandarte pelo pároco Joaquim Pedro dos Santos.
Após esta cerimónia a corporação dirigiu-se ao Adro onde prestou homenagem ao busto do Comendador José Bento da Silva,a cuja memória rendeu homenagem num breve discurso o engenheiro António Birne.
Em seguida  realizou-se uma sentida romagem ao cemitério aonde o Corpo Activo depositou flores nas sepulturas de todos aqueles que estiveram ligados á Humanitária Corporação.
Às 20 horas realizou-se um jantar de gala de homenagem aos Soldados da Paz oferecido pela Direcção da Associação.

segunda-feira, 21 de Maio de 2012

GUERREIROS DE FOGO

Inicia-se mais um ano em que a prestigiosa Associação continua a seguir o caminho do Altruísmo e Bem Servir.
São os Guerreiros do Fogo que continuam a enfrentar o fogo e o mar.O pedido de socorro tanto pode vir de casas,florestas ou do mar.As chamas impiedosas consumem tudo, mar traiçoeiro engole embarcações atirando contra a praia,contra as rochas  vidas desfeitas,sonhos perdidos.
Em Março tendo o comando desta corporação verificado que a casa esqueleto já não servia  para o serviço para que fora construída,devido ao passar dos anos e ao mau estado de conservação foi resolvido apear-se e vender toda a madeira.
Em Maio o trabalho da Direcção mostra-se conduzido com acerto,actividade e inteligência.A ela se deve a aquisição de mais material de incêndio manga de salvação,mangueiras,escadas,etc...
A 13 de Junho mais um aniversario são 24 ano ao serviço do próximo.
Nos anos seguintes continuaram o combate contra as causas responsáveis por tantas tragédias.O fogo destruidor que de repente explode a nossa volta,e onde por vezes são escassos os materiais de defesa Quantos são aqueles que se atiram em luta de corpo e alma contra o perigo esquecendo as próprias famílias,num impulso sobrenatural,dádiva de Deus aos seus eleitos a todos que sentem a abnegação
que lhes vem de dentro da alma e os faz abandonar tudo ao som gritante dos clarins e ao toque a arrebate dos sinos das igrejas.
Eles, os Guerreiros do Fogo, partem sem saberem se voltam, e quantas vezes ao chegarem ao quartel recebem como paga a ignominiosa das ingratidões,
Eles são aqueles,que enquanto as populações descansam,ou se divertem,estão alerta para enfrentarem o perigo,a morte ao menor sinal de alarme,tendo como pagamento a satisfação da sua consciência do dever
comprido.São estes homens os heróis do fogo ,o orgulho de uma Nação.
Assim passam os anos 1932 - 1933,e é iniciado o ano de 1934.
No dia 19 de Fevereiro lá foram os nossos Bombeiros a Torres Vedras,para a inauguração do novo quartel
da Mui Nobre e Digna associação de Bombeiros de Torres,fundada em 11 de Outubro do ano de 1903.
Em Junho celebraram os Bombeiros Sãomartinheses o seu 27ºaniversário.
Em Fevereiro de 1935, foi eleito em acta da Assembleia Geral o Presidente da Direcção Rafael Gagliardine Graça médico nesta vila.
A 20 de Maio em sessão da Direcção foi nomeado 2º comandante o bombeiro Mário da Silva Veiga.


domingo, 20 de Maio de 2012

A DECADA DOS ANOS 1930

A Corporação  dá inicio ao novo ano de 1930 com a coragem e a audácia de sempre de nobres e valiosos sentimentos,com as suas fardas de cotim, eram porem ricos no amor ao próximo,e em disciplina com que honravam a sua bandeira.Neste inicio do ano contavam com 123 sócios,o que não chegava para cobrir todas as despesas. Por isso em reunião de bombeiros em finais de Janeiro foi alvitrado pelo Chefe nº1 Francisco Botas que fosse criada uma nova quota com o fim de cobrir as restantes despesas da corporação.
Recuando ao inicio do mês,em reunião da Assembleia Geral Extraordinária foi aprovado por unanimidade atribuir aos 1º e 2º Comandantes de Torres a nomeação  a Comandantes Honorários desta Corporação de São Martinho .Foi-lhe oferecido um diploma e a medalha de ouro e platina com a seguinte legenda « AO SEU INSTRUTOR - GRATIDÃO - ABRIL 1929», pela contribuição e instrução dada aos nossos bombeiros.
Estiveram presentes entre outras individualidades o Sr.José Maria Miranda Inspector de Incêndios do Concelho de Torres Vedras,assim como os seus 1º e 2º Comandantes de torres e São Martinho.
Continuava como Presidente da Assembleia Geral o Capitão Engenheiro Jaime Granger Pinto,que além de vários cargos nesta vila eram os bombeiros a sua grande preocupação,porem tinha a seu lado a mulher admirável D. Rosa Rebelo Pinto,senhora de um raro sentido de humanidade e uma grande benemérita desta nossa Associação.Em  13 de Junho a Corporação completou  com brio o seu 23º aniversario,anos de heroísmo e abnegação.No dia 19 do mesmo mês,com distinção tomou parte  na procissão que se realizou pelas 18 horas em honra do Santíssimo Sacramento. Era pároco nesta vila o padre Joaquim Pedro dos Santos.
Em 31 de Agosto os bombeiros fizerem guarda de honra quando da visita a esta vila do Sr. Governador do Distrito de Leiria,quando da sua chegada ao Largo da Estação.
Mas também existia na alma do Comandante Eliseu,uma alma de artista,e passa também a ser director do grupo de teatro amador de São Martinho,organiza e ensaia um grupo de homens e de mulheres. Assim a 20 de Abril 1930,realiza-se uma recita de amadores dramáticos,a favor da Caixa de Socorros do Corpo Activo dos Bombeiros.

sexta-feira, 4 de Maio de 2012

FINAL DO ANO 1929

A convite dos Bombeiros Voluntários de São Martinho,vieram de visita a esta Vila no dia 9 de Dezembro os Exmos. Srs. José Maria Miranda, Inspector de Incêndios; José Joaquim de Miranda e Joaquim Paulino Pereira respectivamente 1º e 2º comandantes dos Bombeiros Voluntários de Torres Vedras, e Januário Pinto dos Santos, ex-chefe do material  e ex-instrutor daqueles bombeiros.
Nesta Vila eram aguardados por várias individualidades de destaque e pela Corporação de Bombeiros que lhes apresentou cumprimentos de boas vindas.
Pelas 17 horas teve lugar um banquete de homenagem ao Comando de Torres Vedras, no final estava formada toda a Corporação dos Voluntários de São Martinho sendo-lhes nessa altura oferecido pelo Comando Torriense  um quadro com o grupo de Bombeiros de Torres Vedras, proferindo o Sr Inspector palavras de louvor aos nossos Bombeiros seus briosos camaradas.
Retribuindo o Comandante Eliseu num breve discurso de agradecimento,citando  a Corporação dos Bombeiros Voluntários de Torres Vedras como um modelo de exemplo dos bombeiros portugueses,pela sua organização e disciplina. Seguidamente  foi condecorado com a medalha de ouro o 2º comandante Joaquim Paulino Pereira,pelos bons serviços prestados a esta corporação de São Martinho, e conferidos diplomas de Comandantes Honorários aos Comandantes  de Torres cuja medalha  de ouro lhe será colocada ao peito em formatura geral  de Bombeiros  em Torres Vedras.
Pouco depois os Comandos dirigiram-se para a estação do caminho de ferro aonde tiveram uma despedida muito afectuosa.
Assim com honra e glórias finalizaram este ano de 1929 os soldados da Paz de São Martinho do Porto.

terça-feira, 1 de Maio de 2012

EXEMPLOS QUE HONRAM

Ainda o ano 1929
Quando da visita presidencial à mui nobre vila de Alcobaça lá estavam também os nossos bombeiros,cujo garbo os fazia salientar de entre as numerosas corporações que se reunirão para receber o Chefe do Estado.
O seu aprumo,o rápido e exacto cumprimento das ordem recebidas,atraíram desde logo as atenções do ilustre visitante que a sua entrada no Município tinha também a fazer-lhe guarda de honra os Bombeiros de São Martinho.
No momento em que as quatro bandas de musica entoavam o hino nacional,uns sons se elevaram claros,vibrantes,em tom marcial eram os clarins dos nossos bombeiros em continência O Chefe do Estado mostrou-se tão visivelmente satisfeito que,numa breve revista a todas as corporações presentes,quando passou em frente da Bandeira dos Bombeiros Voluntários de São Martinho, perfilou-se e saudou-a numa continência que ficará na memoria de todos os que presenciaram     Bravo Rapazes
Mais tarde,em exercícios,houve um salto dum segundo andar que arrancou fartos aplausos e que poucos bombeiros portugueses seriam capazes de repetir.
A nossa Corporação honra mais uma vez São Martinho. Saudamos-la nos seus Comandantes.
                    PASSADO     PRESENTE
No passado dia 8 houve um inicio de incêndio cerca das12 horas,numa meda de palha junto a uma casa no caminho do cemitério,Ainda se ouvia o sino a arrebate já os bombeiros acompanhados pelo comandante estavam no local do sinistro.
No presente houve-se o toque da sirene num grito de alarme dramaticamente demorado.
 A 13 de Junho completou a corporação o seu 22ºaniversário,o qual foi celebrado com o brio a que já nos nos habituou esta tão mui nobre Corporação.
Em Agosto nos dias 25 e 26, realizaram-se as festas a favor do cofre da corporação de bombeiros as quais tiveram a valiosa presença da Banda de Alcobaça. Esta foi recebida à entrada da vila pela corporação de bombeiros,comissão de festas e um elevado numero de população. Depois do cumprimento as entidades oficiais, teve lugar o simulacro de incendiou pelos pelos bombeiros na casa escola.Seguiram-se varias modalidades de regatas e a noite na Praça António José de Almeida deu a banda a sua primeira audição sob a notabilíssima regência do sr Joaquim Dias. No dia seguinte pelas 10 horas realizaram-se na praia festas desportivas para crianças nas quais também tomaram parte os alunos da Escola de Educação Física de Alcobaça. Às 22 horas  novo conserto pela banda que encerrou os festejos.

domingo, 29 de Abril de 2012

EXERCICIOS ANO DE 1929

Os Bombeiros recomeçaram os exercícios,vem todas as semanas a esta vila o instrutor Sr. Paulino Pereira da prestimosa corporação de Torres Vedras.Está de parabéns a Direcção dos bombeiros por ter contribuído para que se tivessem alistados muitos voluntários.
A 1 de Abril,os bombeiros continuam com grande entusiasmo os seus exercícios Tivemos há dias o grande prazer  de assistir às instruções dadas pelo comandante de Torres Vedras, ficamos com uma admirável impressão de sua técnica de incêndios e da sua extrema cortesia para com os nossos voluntários.
O comandante Eliseu, sobe incutir no espírito dos seus homens a acção dentro da filantropia,desviando dos centros perniciosos aos conduzir para o corpo de bombeiros,é também de louvar o 2º comandante Raul Miranda.
A 22 de Abril a corporação de bombeiros voluntários está em festa pelo motivo de se realizarem os exercícios finais de passagem a pronto de todos os novos voluntários cujos
exercícios foram desempenhados com a maior destreza e superiormente  dirigidos pelo 2º comandante dos bombeiros voluntários de Torres Vedras.
As 11 horas saíram do quartel acompanhados pelo 2º Comandante Raul Miranda, e dirigiram-se para o Largo da Estação aonde aguardaram a chegada do Inspector e do 2º Comandante, Srs. José Maria Miranda e Joaquim Paulino Pereira.Bem perfilados, estandarte,cujas fitas multicolores se promiscuíam ao vento,com o som dos clarins os nossos Bombeiros apresentaram cumprimentos de boas vindas aos visitantes,aos quais se juntaram os Comandantes da Lourinhã e da Nazaré, Srs. Carlos Monteiro e José Maria Isaac.Nota-se grande movimento junto ao Quartel,e a população vai correndo para onde se encontra a "Casa Escola". O júri é composto pelos Srs.Inspector de Incêndios de Torres Vedras e Srs. Comandantes da Lourinhã e Nazaré.Nos exercícios constou das seguintes partes, 1º Demonstração de manobras; 2º Simulacro de incêndio,salvamento de vidas em perigo e ataque,finalizando com a continência.
Todos os presentes  sentem um imenso orgulho da tão benemérita Corporação,que tem progredido e vai continuar graças á boa vontade entre comandantes e subordinados,habilmente comandados. À tarde realizou-se no Hotel Parque  um banquete, no final o Comandante Eliseu agradeceu a todos pelo brilho que foi este final de instrução.

quarta-feira, 25 de Abril de 2012

21 ANOS AO SERVIÇO DE VIDA POR VIDA

A Corporação habilmente comandada pelos comandantes Francisco Nunes Eliseu e Raul Miranda continua a manter uma disciplina irrepreensível, e a ela se devem alguns dos seus momentos relevantes, sendo também de louvar a Direcção pela forma digna como desempenha o seu serviço. Neste aniversário não foram esquecidos os que já partiram e que aqui na terra tudo deram em prol  do próximo.

13 de JUNHO de 1928
As 10 horas formatura geral dos bombeiros,procedido ao hasteamento e continência à bandeira da corporação, seguindo-se para o Largo José Bento da Silva aonde cada bombeiro depôs um ramo.de flores.As 15 horas Corpo de Bombeiros deslocou-se ao cemitério aonde foram colocadas flores nos jazigos do Comendador José Bento da Silva e nas dos combatentes que nos céus continuam a ser Soldados da Paz. No quartel foi oferecido um lanche por várias senhoras.
Que alegria sentem todos aqueles que  concorreram para a sua fundação,ao assistirem a mais um aniversário,e ao recordarem  todas as horas felizes feitas de vitórias,de vigor e firmeza de uma força moral superior aos momentos tristes de incompreensão.Que contentamento não sentirá Comandante Eliseu que a fundou e a dirige até hoje.Nos bombeiros de hoje vimos uma história de esplendor e a esperança  calma de um futuro com uma estranha força de persistência de que são feitos todos os combatentes voluntários.

DIGNIDADE E AUDÀCIA 1927

Na parada geral dos Bombeiros Voluntários de Portugal realizada em Lisboa o Corpo de Bombeiros de São Martinho  comandados pelo mui nobre Comandante Eliseu marcaram  perante todos os presentes um lugar de relevo pelo seu garbo e perícia.
A 24 de Agosto a Corporação de Bombeiros tomou parte com o mesmo brio na parada de bombeiros de todo o país que se realizou nas Caldas da Rainha por ocasião da V Exposição Agrícola.esta parada muito veio a contribuir  para a união e solidariedade de todas as corporações do nosso país.
Nesse dia o 2º comandante Raul Miranda falou com entusiasmo dos seus homens e disse que os rapazes se houveram portado optimamente oxalá que não haja desânimos e que esta prestimosa corporação possa vir a ser dotada de excelentes materiais para assim poderem desempenhar o dever que lhe compete.
Em Outubro do mesmo ano ficou concluída a obra da casa esqueleto destinada aos exercícios dos bombeiros.

                       Ano do Senhor de 1928   ORDEM DE SERVIÇO
Cada ano que passa traz com ele momentos de grande altruísmo em cada elemento que por amor ao próximo enfrenta com o sentimento de verdadeiro guerreiro a morte que pode vir do fogo da água ou do mar.Não o fazem por ostentação mas pelo dever de salvarem vidas,animais e haveres.
As Ordem de Serviço eram para ser compridas não evocando desculpas politicas, religiosas ou familiares (excepto casos justificados de doença).

                      CORPO DE BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS   
                                    ORDEM Nº 102
Faço  saber à Corporação do meu comando.Segunda -Feira 6 de Fevereiro de 1928.As 11,30 horas formatura geral com estandarte para guarda  de honra ao Exmo. Ministro do Interior.
1 toque de unir -10,30 minutos   / 2 toque 11 horas.Este serviço ocupará o tempo das 11 às 13 horas.......
Quartel do Corpo de bombeiros de São Martinho do Porto,Comandante Francisco Nunes Eliseu.
Para um comandante ter a capacidade de saber dar uma ordem de serviço e esta vir a ser respeitada é necessário ser um bom condutor de homens,tem que ser firme na comunicação,saber dirigir e ser superior sem ter a vaidade e arrogância de querer ser ostensivo,com o objectivo de dar nas vistas.
É necessário ter orientação, ser justo, ter carácter firme,ser amigo, saber ser comandante e bombeiro estar com os seus homens nos bons e maus monumentos.Sorrir na alegria e não ter vergonha de chorar na dor Saber castigar com integridade e ter a moral de ser compreensivo,ser sempre Altruísta.,

domingo, 22 de Abril de 2012

PAÇOS DO CONCELHO

No ano do Senhor de 1925,foi eleito para Presidente da Assembleia Geral Capitão Jaime Pinto. A 17 de Maio do mesmo ano em Assembleia Geral foram aprovados os novos Regulamentos e os Estatutos da Associação. Nesse mesmo ano e a 7 de Outubro foi decidido pedir à Câmara Municipal de Alcobaça o edifício dos antigos Paços do Concelho para Quartel Sede da Corporação dos Bombeiros. A 21 de Outubro a Câmara Municipal empresta o edifício para quartel sede.
No novo ano de 1926 é alistado como bombeiro Mário da Silva Veiga.
A 13 de Junho a Corporação  celebra o seu 19ºaniversário,foram realizadas nesta Vila festas de homenagem aos Soldados da Paz, com uma alvorada de 21 morteiros, e a ordenada presença do Corpo de Combatentes, seguindo-se uma sessão solene no Colégio José Bento da Silva, exposição no quartel e uma recita no salão de teatro do Clube Recreativo.Os festejos continuaram no domingo seguinte com a recepção pelas 12 horas à Sociedade Capricho Setubalense na estação dos caminhos de ferro. Pelas 13.30 horas foi oferecido um Copo de Agua no clube, seguindo-se um concerto pela banda. No dia seguinte foi a despedida da grandiosa Banda de Setúbal estando presentes o Corpo de Bombeiros e toda a população em geral.

NO HORIZONTE

É necessário para evitar esquecimentos saber e compreender as diversas fases por onde tem passado a Corporação,luta-se contra a falta de apoios, por vezes morais e financeiros e este assunto continuara a ser um grave problema dos anos de hoje e dos futuros.No inicio da década dos anos vinte passa-se mais uma vez por esta situação .Ao iniciar esta época deu-se nova decadência,o material é escasso e com o passar dos anos as mangueiras dão inicio de estarem corroídas pelas traças,a bomba sofre avarias,e começa-se a instalar o desanimo entre os voluntários.
A população parece alheada a esta situação,os voluntários só são lembrados para casos de sinistro. Há que por termo a esta situação,é convocada uma reunião geral a população sem esquecer os veraneantes e os sãomartinhenses de além mar nunca esqueceram a terra natal.
E a nova luz desponta no horizonte,é o renascer das boas vontades,a união faz a força,são comprados novos materiais mais modernos adequados as novas técnicas de extinguir incêndios ,novos fardamentos, e o voluntariado triunfa com mais força no Corpo da Corporação.novamente são aqueles que se entregam de corpo e alma,nunca sabem se voltam ao quartel,mas sabem acima de tudo o significado da honra de serem Soldados de Paz. Eles são aqueles que sobrepõem a tudo até a própria vida. Este são aqueles que não se servem para obterem louros, mas sim de coração nobre servem para honrar a nobre causa dos Bombeiros Portugueses.
TODOS SERÃO LEMBRADOS!
Não podemos evocar todos os nomes dos mui nobres Voluntários, mas haverá sempre os exemplos de Coragem e Abnegação.

sábado, 7 de Abril de 2012

PADROEIROS SÃO MARÇAL - STO.ANTONIO

São Marçal foi um dos bispos enviados por Roma para evangelizar a Gália em meados do século III,com a colaboração de missionários vindos do Oriente. Limoges foi convertida e os seus habitantes se renderam aos enviados do céu.
São Marçal passa a ser bispo de Limoges, anos mais tarde acaba por ser martirizado em Saragoça. São Marçal é o Padroeiro dos Bombeiros Voluntários Portugueses.
No entanto existem sempre corporações que guardam religiosamente um novo padroeiro.
Os Fundadores de São Martinho escolheram também a protecção de Santo António ao serem fundados no dia deste Santo.
Doutor da igreja, formou-se pregador famoso, sendo nomeado leitor em teologia em Bolonha, de fortes dotes oratórios, a sua característica principal é a da exaltação da humanidade.
Fortemente ligado aos bombeiros de São Martinho este Santo não tem tido talvez a honra merecida já que por direito numa acção nobre e justa o seu andor devia receber a honra de ser levado aos ombros pelos nossos Soldados da Paz.
Presentemente nota-se um certo afastamento, talvez por desconhecimento ou por se dar demasiado importância a lendas populares que nem  sempre contam a história real. O certo é que sem sentido Santo António  é  obrigado a  andar de barco fruto da imaginação irreal que chega a ser pitoresca.
Santo António entre  flores das cores da associação passaria orgulhoso aos ombros dos mui nobres Bombeiros que continuam a honrar a nossa Corporação fundada a 13 de Junho do ano do Senhor de 1907

ANO CONTROVERSO

Carências de apoios, faz com que no ano de 1910 se desse o facto de surgir a possibilidade da dissolução da corporação, assim foi convoca Assembleia Geral Extraordinária a 13 de Novembro de 1910. Esta assembleia teve lugar na escola José Bento da Silva,divido ao mau tempo e por não se poder  retirar para fora do quartel o material de incêndios.
"Aos treze dias de Novembro do ano de mil novecentos e dez, na escola oficial desta vila reuniu a Corporação dos Bombeiros Voluntários de São Martinho do Porto, em sessão extraordinária,convocada pelo presidente da direcção afim de se tratar da dissolução ou conservação do Corpo de Bombeiros e do convite verbal que à Corporação foi feita pela Comissão Paroquial desta vila,para tomar parte...
O voluntariado venceu e a Corporação seguiu em frente com o seu destino de servir o próximo.
Continuando como comandante Francisco Nunes Eliseu,Chefe Ajudante José Venceslau de Oliveira, Chefe de Viaturas José Tavares Adam e João Henriques Primo, e Chefe de Ambulância José Maria Carrilho. Continuando como elementos do Corpo Activo quase todos os bombeiros de 1907.
A onze de Dezembro de 1910 realizou-se nova Assembleia Geral Extraordinária para se debater os seguintes pontos:
Mudança de Sede; Novo regulamento apresentado pelo comandante o qual foi aprovado por aclamação.
Reafirmaram-se os votos do voluntariado eles sabem que ser bombeiro é aquele que: Luta na defesa da Humanidade; Ama o próximo como a ele mesmo Tudo dá sem nada pedir em troca; O Seu altruísmo desafia
o perigo tem o óbice de bem fazer nunca vê no seu semelhante um inimigo; Ama a Natureza e defende-a; Morre para dar a Vida por outro Ser.

sexta-feira, 6 de Abril de 2012

OS HOMENS DA CARRETA



Depois de oficializada,a corporação entrou em exercício a 1 de Agosto do mesmo ano de 1907.
Os exercícios de toque eram realizados no Largo José Bento da Silva, e competia aos corneteiros esse serviço.
Toques: Marchar; Reunir; Aceleração; Sinistro; Instrução; Unir; Prevenção; Sem efeito; Ordenança; Manobras; Retirar. Em caso de sinistro e além do toque a arrebate do sino da igreja, eram feitos toque no Outeiro e no Adro.
No quartel os toques eram de unir em acelerado. O material usado resumia-se à carreta, baldes e caso fosse de noite usavam archotes.
O primeiro carro bomba tinha uma lanterna, foi a primeira oferta de um generoso legado feito pelo benemérito José Bento da Silva.
Numa casa especializada da cidade do Porto foram encomendadas mangueiras de lona, machados, lanternas, apitos e mosquetes.
Estes eram os bombeiros que combatiam as chamas com tão precários material, que depois de lutarem contra o fogo chegavam a casa cansados ,sujos e com fome, e por vezes mal chegavam ao pé das famílias, e já se fazia ouvir o toque a sinistro, tudo largavam e corriam ao quartel, novamente partiam rumo ao fogo, prontos a dar a sua vida em prol do próximo.
Tinham como recompensa o sentimento do bem servir e de mais uma vez honrarem a farda que vestiam.
A Corporação de Bombeiros têm como padrinhos os mui nobre Bombeiros Voluntários de Torres Vedras.
A 1 de Setembro de 1907 foi realizada a cerimónia da bênção da primeira bandeira.
estes homens tem o orgulho na alma são bombeiros que pertencem à grande família de valores incontestado que são os Bombeiros Portugueses.

sábado, 24 de Março de 2012

VIDA POR VIDA


Ano do Senhor 13 de Junho de 1907
Já á muito que se falava em criar um Corpo de Bombeiros nesta mui nobre Vila de São Martinho do Porto.Faltava porem a estes homens um impulso final.
Chegou a esta vila um homem filho da mui nobre Alcobaça, veio  como professor de liceu no colégio José Bento da Silva.
Francisco Nunes Eliseu, foi o impulso final,homem de espírito pleno de vida,cheio de iniciativa, nada o detém,todas as dificuldades se aplainam. Reuniu então os pioneiros e juntos dão vida à primeira Corporação de Bombeiros.
perdeu-se nas brumas da memória se nesse dia o céu estava pleno de azul ou tradicionalmente enevoado.Porem foi o dia escolhido pelos Fundadores, era um dia muito especial,dia de um mui ilustre português Santo António de Lisboa.
Assim reza a história que:
... Aos treze dias do mês de Junho do ano de mil novecentos e sete,nesta Vila de São Martinho do Porto, na Sede de Serviços de Incêndios na rua Comendador José Bento da Silva, perante a Comissão organizadora duma Corporação de Bombeiros,composta por José Venceslau de Oliveira, José Tavares Adam e João Henriques Primo, compareceram os abaixo assinados inscritos como bombeiros voluntários declarando todos cumprirem com as obrigações e deveres respeitantes ao seu cargo e lugar.
Para constar e mais efeitos devidos mandou a mesma comissão lavrar a presente acta que vai ser assinada por todos que sabem ler e escrever,e também pela mesma comissão,depois de a todos estes ser lida em voz alta por mim José Tavares Adam, secretário que a escrevi e também assino.
Comissão Organizadora: José Venceslau de Oliveira; José Tavares Adam e João Henriques Primo.
Comandante e Presidente Francisco Nunes Eliseu.
Bombeiros escritos: João Rodrigues Aldiano; Joaquim Afonso Branco; José Maria Carrilho; José Matias; José Henriques do Conto; Sebastião da Silva; Juvencio da Silva Rodrigues; José de Sousa;Pedro Agostinho;Joaquim dos Santos; José da Graça;Leonardo Nunes; Domingos de Sousa; Augusto da Silva; António Maria de Almeida; António Inácio Franco; José Tavares Adam; José Venceslau de Oliveira;João Henriques Primo;Pedro Pereira Lizo; Manuel Venceslau Júnior; José Venâncio de Almeida;José Daniel Sousa Júnior; Manuel Jaime Sousa Carreira e Faustino da Graça.


sábado, 10 de Março de 2012

Prólogo

Existem sonhos que nem sempre se podem realizar no momento certo.
Na linha do horizonte uma ideia despontava, mas no inicio de mais um século e milénio, os ventos anunciaram mudança e o sonho ficou em mente. Saber esperar é um trunfo, e neste ano irá surgir o tal sonho em forma de biografia que devia de ser realizado pelo centenário da Associação.
Esta biografia irá transmitir factos  reais,relembrando os mais velhos e aos mais novos dar a conhecer o valor e a coragem dos destemido Homens do  Fogo.
Dignificar e enaltecer os pioneiros que sem as modernas comodidades de hoje eram autênticos Guerreiros do corpo de salvação nacional.
Neste ano de 2012, comemora a associação 105 anos de história, com os seus momentos de glória e os momentos de decadência, mas que como a mitológica ave Fénix renasceu das cinzas, também a associação renasce vencedora das dificuldades,estimulando energias, trabalhando incansavelmente para o bem estar e defesa do próximo
Foi dos Homens da Bomba que nasceram as Corporações de Bombeiros.
Existia nesta mui nobre Vila um grupo de guerreiros com o espírito de voluntariado onde o altruísmo dos seus
fins era a nobreza desinteressada com que serviam o seu semelhante dando se necessário fosse a sua própria
vida. Marcados pela fé e honrando a divisa que lhes vai servir de brasão VIDA POR VIDA.
rajlis